FINALISTAS da 1ª edição do PENA DE OURO (2020) — parte V [FINAL]

Pelo quinto dia consecutivo, trazemos informações a respeito dos finalistas do Prémio Internacional Pena de Ouro do ANO PASSADO.


Já as inscrições DESTE ANO ainda seguem abertas na sua RETA FINAL! Basta clicar aqui:


https://www.casabrasileiradelivros.com/2a-edicao-pena-de-ouro-2021


Para relembrar a classificação, basta clicar aqui:


https://www.casabrasileiradelivros.com/selecionados-pena-de-ouro-2020



NOELY SOARES VELOSO MOURA



Fui incumbida de falar um pouco sobre quem sou e como é a minha vivência com a escrita. Posso dizer que de início fui coaptada pelo exigente ofício da medicina. Porém, as histórias de meus pacientes sempre me fazem retornar ao mundo da linguagem. Esse mundo que nos permeia... Tenho me dedicado mais a ele recentemente. Não sei como percorrerei esse caminho ainda. De toda forma, me sinto realizada quando escrevo. Penso que a minha história não é o mais importante. Importa o que vier por mim pelas ideias, o que saltar através das minhas palavras. Os resquícios, os lampejos de significados, aquilo que é maior que eu e você. Pouco importa a minha trajetória, individualmente. Interessa o que de mim é comum ao íntimo de todos, e que me resgata de humanidade... Que eu me faça ser “via” de expressão! Na verdade, a pessoa que sou é muito pouco perto da palavra que me atravessa.



TULIO MILMAN



Tulio Milman, 53 anos, é jornalista. Assina uma coluna diária no jornal Zero Hora e no site GZH. É comentarista da RBSTV. Lançou no fim de 2020 o Instagram @mele.tulio, focado em poesia. O Pena de Ouro foi o primeiro concurso literário do qual participou. Nunca publicou um livro de poesia ou mesmo participou de qualquer um.



STELLA D'AVANSSO



Stella D'Avansso foi alfabetizada aos 5 anos, com grande incentivo de sua mãe, educadora de primeira infância nas periferias da grande São Paulo e seu pai, grande entusiasta das humanidades. A literatura sempre esteve presente em sua vida, ainda quando não dominava o conhecimento das letras, inventava histórias fantásticas, de influências folclóricas, religiosas e conflitos urbanos contemporâneos, que guiam sua obra até hoje.


Aos 12 anos de idade compôs sua primeira música, que despertou o desejo de brincar com a musicalidade das palavras. Alguns anos mais tarde viria a conhecer um grupo de poetas, músicos e artistas de São Bernardo do Campo no Sarau da Borda do Campo, evento mensal, o qual serviu de escola à uma jovem poeta, amante da música e do pensamento.


Com o tempo passado entre grandes nomes da música e poesia local, seus temas e técnicas poéticas se sofisticaram, levando-a a compor mais de 10 músicas com sua banda "Auear" (palavra vinda do termo filosófico japonês adaptada ao português, que seria um equivalente do "pathos" grego). Apaixonada pela poesia persa e musicalidade japonesa, cria novas mitologias e terras distantes em sua poética, contos de viajantes e materializações de dúvidas existenciais no mar e na natureza, como consciência e corpo integrados aos homens. Sua alquimia de palavras busca criar um mundo de ilusões panteísta, que faz de sua obra uma sala de espelhos labirínticos.


Hoje, aos seus 20 anos, cursa a licenciatura em Filosofia pela Universidade Federal de São Paulo e espalha seus trabalhos em poesia, música e performance pela cidade. Sonha em ser escritora e pesquisadora da estética filosófica literária do fantástico e do grotesco nas poesias oriental e ocidental.




Esperamos que você tenha gostado!


Semana que vem, faremos um super post a respeito dos semifinalistas do Pena de Ouro 2020... Não perca!


Tenha um ótimo final de semana!

99 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo