top of page

PRATA DA CASA | CONHEÇA OS SEMIFINALISTAS: GABRIEL ADLLER DANTAS DA COSTA




SOBRE O AUTOR


Me chamo Gabriel Adller Dantas da Costa, acabo de completar 25 anos. Nasci em Taguatinga, uma cidade satélite de Brasília-DF, sou graduado em Psicologia, tradutor freelancer e estou me preparando para ingressar no Mestrado enquanto cultivo uma formação contínua em Psicanálise. Mas, antes de tudo, sou um amante da palavra. E o todo desse amor, que nunca se deixa dizer inteiro, de tanto não caber, transborda em mim pela literatura.



O POEMA SEMIFINALISTA


Miragens de Ícaro


A sede da algema sacia o terror

De habitar um espaço sem linhas


Rastros de gozo têm do labirinto o sabor,

E o saber que as fronteiras são minhas:

O gosto de angústia de um perpétuo labor,


Em que o suor da engenhosa tarefa refina

As plumas de cera que um regalo partilha.

O ovo indefeso do ego para a vida rapina

É um Ícaro zonzo encantado pela paterna armadilha.


Sua fome do depois do céu atinge o Sol,

Que a medida de Deadalus ensinou evitar.

Quando seu amor vendado flameja um farol,

A Flecha da Queda veloz sibila o último ar, 

E, como lança de luz perfurando um lençol,

O céu devorado encosta na fome do Mar.


Sem o céu: não há promessa da asa

E sem a asa não há o risco da Flecha

Mas o céu de dentro tem fome de voo

E as Asas da Vida não temem o Sol ou a Queda

Pois mesmo queimando desejam o fogo

E mesmo no infindo abismo caindo

Do próprio Tempo sugam o fôlego

E da própria Morte a força que eleva


Para pairar em decadência gloriosa 

E testemunhar a heroica ruína do mundo

Vendo a Terra Turquesa como gota de orvalho ruidosa

E o vazio silente como fruto do espaço profundo



11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page